19 de outubro de 2017

Ando um bocado indecisa em relação ao que me faz mais nojo

-Se a conversa da merda da oposição que compactuou com todas os factores que levaram ou facilitaram as recentes tragédias e agora vem com pedidos de desculpas igualmente merdosos - sendo-me óbvio o intuito subjacente que me deixa bastante claro desculparem-se é um caralho, o que querem de facto é agradar ao Povo que sabe-se lá porque cargas de água, ao invés de os encostar a todos a uma parede contenta-se com um pedido de desculpas e manifestações silenciosas - de modo a chamarem as brasas às suas sardinhas igualmente conspurcadas, se não pela participação directa em decisões que culminaram no que se viu, pelo menos na total abstenção de qualquer voz activa, como lhes competia,  com as mesmas, durante anos e anos, o que me leva a concluir terem aquelas posturas de madalenas arrependidas o único objectivo de desacreditar (ainda mais) o governo vigente,

-Se  a cegueira a raiar o colectivo, em não se alcançar o facto de que estavam reunidas todas as condições para a mão criminosa a soldo de sabe-se lá de quem  (embora se imagine),  poder cumprir na perfeição os seus objectivos, e que, exactamente porque essas tais condições, que foram e são da responsabilidade de todos aos que sentam o pandeiro na Assembleia da República, todos os dias, tornaram praticamente impossível minimizar o que sucedeu, 

-Se realmente se acha coerente que em 4 meses se tivesse conseguido mudar definitivamente fosse o que fosse,

-Se de facto aquele discurso olho do cu do nosso Presidente fez alguma diferença no sucedido -  e lá vai mais abraço e mais beijinho, e ai, ai governo! que se estão  a portar tão mal! -  sendo que todavia também nada mais faz, mas o pessoal aplaude porque sim,  hey, quem não gosta de um chamego, né? 

-Se a exigência de demissão da côr política em funções - que embora seja a quem se deve pedir satisfações, não as tem para oferecer,  exactamente pelas razões que todos conhecemos mas convenientemente nos esquecemos, quando em debates que não levam a lugar nenhum como nomeadamente aos que temos assistido por estas redes sociais afora, e que quando muito, quanto a mim, só servem para desrespeitar a memória dos que partiram  à conta de mais esta clara demonstação do quão putrefacta é a classe política deste País - não lhes dando a oportunidade de pelo menos tentarem endireitar o que está torto há séculos, como se outros merdas quaisquer a ocupar aqueles lugares fossem fazer melhor, os mesmos merdas que lá estiveram e foram o fio condutor para o estado actual das coisas,  para além da dúvida que se me impõe, no sentido de escrutinar se o que precisamos mesmo agora será de  perdermos mais tempo com moçõezinhas de censura e eventuais eleiçõezinhas antecipadas, ou deixar os que lá estão acelerar hipotéticos processos já iniciados, a ver no que dá, e se não seria de se esperar que todas as outras forças políticas, igualmente culpadas, repito, unissem esforços nesse sentido, discorro eu que nunca votei PS em toda a puta da minha vida.


É tudo.